Por Leandro Silva (4º período de Jornalismo).

Urnas eletrônicas sendo passando por teste e manutenção. Crédito: Leandro Silva.

Estão acaloradas as campanhas políticas dos candidatos a governador e presidente. Com isso, várias informações correm a rede mundial de computadores. Mas, afinal, o que é mito e o que é verdade?

Nas ruas, encontramos várias dúvidas. Marcos Galvão questionou sobre os votos brancos e nulos: “Eles vão para algum candidato? Como funciona isso?”

Segundo o chefe do cartório eleitoral de Governador Valadares, Jean Claudio Faria, os votos brancos e nulos têm o mesmo efeito, não sendo computados para nenhum candidato.

“Há um boato de que os votos brancos vão para a legenda, ou para o candidato que já está na dianteira, mas isso já mudou há bastante tempo. Os votos não vão para ninguém, mas para o combo da porcentagem de comparecimento às urnas. Afirma-se muito que a quantidade de votos nulos influenciaria na realização de uma nova eleição: se chegasse a 50% dos votos nulos, uma nova eleição deveria ser realizada. É outra lenda. Não existe isso”, explica Jean Claudio.

O eleitor Marcos Galvão apresenta outra dúvida: “Eu não sei o que é permitido ou proibido em questão de propaganda eleitoral tanto na rua, quanto pessoalmente. Não sei nada referente a isso”. A resposta é simples. Na propaganda eleitoral hoje, são proibidos os usos de carros de som, exceto em carreatas, e estão proibidos os outdoors. Diariamente em dois horários estão disponíveis as propagandas eleitorais gratuitas nas TVs e rádios, mais inserções durante as programações.

Jean destaca também que no dia da eleição são permitidas algumas manifestações silenciosas de voto: “No dia da eleição, continua valendo que o eleitor pode manifestar sua opção por determinado candidato. Por exemplo, o eleitor pode usar uma camisa, um boné ou broche. O que não pode é que um determinado candidato use isso como um brinde para um eleitor… O que a gente pede aos mesários é verificar se há uma quantidade grande de pessoas com uma vestimenta padronizada, que poderia configurar um uniforme padronizado, e seriam acionados nossos órgãos, promotor, a Polícia Federal para investigar de onde vêm essas camisas, o que poderia configurar uma propaganda eleitoral irregular e até um crime eleitoral de compra de votos.”

Na maior festa da cidadania do país, fica a dica: No dia da eleição, leve seu título de eleitor físico ou mesmo no smartphone pelo aplicativo e-Título, que será aceito para as pessoas que realizaram o cadastramento biométrico a partir de 2015 em Valadares, juntamente com documento com foto.

A votação ocorrerá no dia 28 de outubro, de 8h às 17h.

 

Urnas eletrônicas devidamente testadas e organizadas para os trabalhos da eleição. Crédito: Leandro Silva.

10 de outubro de 2018

Segundo turno: Mitos e verdades sobre as eleições estaduais e federais de 2018

Por Leandro Silva (4º período de Jornalismo). Estão acaloradas as campanhas políticas dos candidatos a governador e presidente. Com isso, várias informações correm a rede mundial […]
10 de outubro de 2018

Semana de Trânsito traz atividades educativas a Governador Valadares

Por Leandro Silva (4º período de Jornalismo). Bombeiros e SAMU atendem uma das vitimas do simulado de acidente no centro de Governador Valadares. Crédito: Leandro Silva. […]
22 de agosto de 2018

Escola de Governador Valadares se destaca pelas conquistas no judô

Por Leandro Silva (4º período de Jornalismo). Alunos da Escola Municipal Olegário Maciel em Governador Valadares têm tido muito mais que as matérias básicas como português, […]