Minas Gerais registra alto número de roubos e furtos de celulares
27 de setembro de 2018
Valadares recebe Festival de Churros
9 de outubro de 2018

Popularidade dos eSports tem aumentado no Brasil

Por Lethícia Souza (4º período de Jornalismo).

Neste mês aconteceu no Rio de Janeiro um dos maiores eventos de games do Brasil, a Game XP. A repercussão da feira, desta vez, ganhou espaço nas mídias sociais e nas redes de televisão abertas. O motivo desse maior alcance é a nova realidade de mercado da área.

Os esportes eletrônicos, conhecidos como eSports, têm conquistado cada vez mais profissionais e audiência. O perfil dos jogadores e jogadoras têm se diversificado, e os prêmios de campeonatos mundiais chegam a até 10,8 milhões de dólares.

Nicholas Nascimento cursa Direito, mas desde os três anos de idade já tinha parte do seu tempo reservado para se dedicar aos jogos. Além de jogar, ele também utiliza um perfil no Instagram para compartilhar vídeos e informações relacionadas aos games e divulgar opiniões. “Quem eu sou hoje, meus valores, ou a maioria deles, vieram através dos jogos. Porque eu cresci jogando, então eu transmito tudo o que aprendi. Todos os jogos que eu joguei e as várias histórias diferentes, com o passar do tempo, me transformaram na pessoa que eu sou hoje. Apesar de muita gente achar que videogame faz mal, ou que não é uma coisa boa, quem fala isso está errado. Videogame é sim uma coisa boa, você só tem que saber controlar. Eu acho que é muito mais que um hobbie pra mim, é uma paixão pra vida”, conta.

Com a crescente popularidade, não é só quem joga que ganha espaço para movimentar o mercado. Quem produz o jogo está em ascensão tanto quanto o jogador profissional. Ainda que em menor escala, o Brasil tem investido também nos profissionais que criam a arte e a programação dos games.

Ana Paula Mafra, estudante de design, está inserida no universo dos games desde criança, mas agora a antiga brincadeira se tornou coisa séria. Ela tem estudado o mercado de jogos na intenção de seguir sua carreira profissional como designer de games. Além disso, Ana está participando da criação do roteiro e parte artística de um game, dentro de um curso. “O mercado dessa área é bem promissor. A gente vê um crescimento da profissão muito grande aqui no Brasil atualmente. Porém, existe uma escassez de profissionais qualificados e isso acontece porque o mercado e a disseminação da profissão só se deu por agora aqui no Brasil. Já em outros países a gente observa que é bem mais comum existir um profissional voltado para área de games, por ser uma área muito mais explorada por lá do que por aqui”, explica.

Já foram muitas as mudanças dentro desse universo de jogos no país. Hoje já é possível encontrar games dublados e legendados em português. A tendência é que o acesso dos brasileiros e brasileiras que gostam dos esportes eletrônicos se torne cada vez maior e mais fácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *